Fardamento e Uniforme – Igualdade de Género no Vestuário

Fardamento e Uniforme – Igualdade de Género no Vestuário

A área do Fardamento e Uniforme tem também sofrido uma evolução quer ao nível técnico mas também tendo em conta a aplicação de um design mais arrojado e inovador. De fato, esta área do vestuário de trabalho tende a sofrer cada vez mais uma tendência fashion. Devido a essa mesma tendência que vem surgindo e ganhando força, a moda Agender “roupas sem género” continua a crescer nos últimos anos. Este movimento levanta-nos uma questão: Quais os atributos técnicos e estéticos que são necessário para o desenvolvimento de uma coleção de vestuário que sirva tanto para um Homem quanto para uma Mulher?

Desigualdade de género

As diferenças de género são um objeto de grande interesse por se encontrarem ligadas às questões de desigualdade e poder nas sociedades. No contexto de igualdade de género é importante compreender ao que nos referimos quando falamos em género e sexo. O género refere-se ao conceito social que nos remete para as diferenças existentes entre homens e mulheres, diferenças essas não de carácter biológico, mas resultantes do processo de socialização. Género descreve assim o conjunto de qualidades e comportamentos que as diferentes sociedades esperam dos homens e das mulheres, formando a sua identidade social.

O sexo refere-se ao domínio da biologia e traduz o conjunto de características biológicas e fisiológicas que distinguem homens e mulheres.

Desde muito novos que as atitudes, as palavras, os brinquedos, a publicidade e a moda representam um papel importante no individuo no sentido da assimilação dos papéis de género perante a sociedade.

Fardamento e Uniforme para homem
As colecções desenvolvidas pela Unifardas têm sempre uma grande preocupação de garantir a usabilidade do vestuário de trabalho quer para Homens quer para Mulheres.

Quando se fala em igualdade de género, não quer dizer que somos ou deveríamos ser todos iguais, mas sim, que todos deveríamos ter as mesmas oportunidades. 

Dos rapazes, a sociedade espera capacidade de liderança, racionalidade e domínio técnico. Das raparigas espera-se delicadeza, a sensibilidade e o domínio familiar. Por exemplo, oferecer a um rapaz um carro ou jogos electrónicos e à rapariga oferecer utensílios domésticos , já determina uma apropriação dos devidos papeis de género. As diferenças passam pela representação de género nas diferentes categorias profissionais, pela continuidade de desempenho da atividade profissional, pela segurança na profissão, pela posição ocupada dentro da profissão, pelo tipo de inserção no mercado de trabalho e pelos salários auferidos. Mesmo que o trabalho feminino apresente um peso relativo na sociedade portuguesa, continua, em geral a não estar em igualdade com o trabalho masculino.

Fardamento e Uniforme – Quebra Barreiras também no vestuário de trabalho

As barreiras estão a ser quebradas e são várias as marcas que estão a lançar marcas sem género. Mas qual o objetivo? Acabar com os estereótipos e abrir mentalidades. Em Portugal, surgem novas ideias e nascem colecções de todos os tipos.

Estando a Unifardas na vanguarda do Vestuário Profissional, têm sido desenvolvidas diversos modelos e coleções Unissexo que vão ao encontro do conceito da Igualdade de Género no Vestuário. 

Jaleca para fardamento e uniforme
Jaleca de Chef de Cozinha. Esta é uma peça desenhada e produzida para ser usada quer por Homem quer por um Senhora. Existem diversas peças Unissexo nas coleções desenvolvidas pela Unifardas.

 

O tema da moda sem género tem sido um tema muito debatido ao longo do tempo. Uma nova vaga de estilistas e designers tem apostado muito numa nova forma de contornar a separação que existe entre os dois géneros de vestuário. O conceito deste novo modelo é desenhar várias peças comuns aos dois corpos e outras onde se  duplica apenas com pequenos ajustes.

Felizmente, vivemos um momento de inclusão e quebra barreiras, e o debate sobre diversidade tem ganho espaço, sendo que alguns não têm medo de quebrar esse ciclo, como é o caso de algumas marcas como a Nike, Zara entre muitas outras. Objetivo? Acabar com os estereótipos e abrir mentalidades fazendo com toda a população se sinta incluída.

A conversa sobre género e estereótipos de género têm aumentado constantemente nos media desde pequenos atos de auto expressão, até comprometimentos de maiores empresas, como o facebook deixados os usuários escolherem categorias de género na plataforma. Deste modo,  em Junho de 2019 foi lançada no Reino Unido uma nova regulamentação publicitária, em que todos os anúncios públicos têm de ser preparados com um sentido de responsabilidade para com os consumidores e sociedade em geral.

Fardamento e Uniforme para a área da Saúde – Túnica Unissexo

Fardamento e Uniforme para homem e senhora
Fardamento e Uniforme para a área da saúde. Túnica unissexo confortável, conferindo uma proteção ao seu utilizador. Possui um corte e um design moderno  proporcionando uma excelente vestibilidade.

 

Hoje já muita coisa foi conquistada, mas a igualdade de género, quer no vestuário quer nos valores da sociedade continua a ser discutida sendo sempre um assunto polémico e sensível.  Certamente, muitas sociedades, organizações e marcas estão sensibilizadas para este problema. Entretanto nós, enquanto marca colocamos em prática os valores da igualdade quer em relação aos nossos recursos humanos quer em relação aos produtos que oferecemos ao mercado.

Partilhe: