Equipamento de Proteção Individual – Qual o mais indicado?

Equipamento de Proteção Individual – Qual o mais indicado?

Estima-se que cerca de 20% das pessoas infetadas em Portugal são profissionais de saúde sendo que a falta de equipamento de proteção individual adequado está a ser a principal causa do aumento dessa percentagem – adianta a Ordem dos Médicos.  Inegavelmente, numa situação de necessidade de cuidados médicos e nesta situação em particular, onde existe uma pandemia instalada, os profissionais de saúde são os “soldados “ que estão na linha da frente do combate. Assim sendo, para desempenharem as suas funções e se protegerem têm que ter ao seu dispor os EPIS – Equipamentos de Proteção Individual capazes de lhe fornecer a proteção adequada.  Deste modo, neste artigo iremos abordar esta questão e descrever quais os EPIS mais aconselhados para a área da saúde.

O equipamento de proteção individual é um equipamento especial usado para criar uma barreira entre o utilizador e os germes. Esta barreira reduz a hipótese de tocar, ser exposto e espalhar vírus e bactérias. Como resultado, os EPIS ajudam a impedir a propagação de vírus nos hospitais, protegendo quer os pacientes quer os profissionais de saúde de possíveis infecções.

Antes de explorarmos a questão dos EPIS gostaríamos de fazer uma pequena abordagem aos germes e qual a melhor forma de nos protegermos dos mesmos.

O que são germes?

Os germes são microorganismos. Isso significa que eles podem ser vistos apenas através de um microscópio. Muitos germes vivem no nosso corpo sem causa danos, sendo que alguns deles até nos ajudam a permanecer saudáveis. As doenças infecciosas são doenças causadas por germes. Como principais tipos de germes temos as bactérias, fungos, vírus e parasitas.

Como os germes se espalham?

Existem diversas formas pelas quais os germes se podem espalhar, incluindo

  • Contacto próximo com outra pessoa. Comportamentos como abraçar, tocar, beijar ou partilhar objetos são comportamentos de risco numa altura de pandemia e possível contágio
  • Através da respiração após uma pessoa tossir e espirrar sem manter as recomendações aconselhadas
  • Tocar em objetos e superfícies que contêm germes, tocando posteriormente com as mãos nos olhos, nariz ou boca
  • Da mãe para o bebé durante a gravidez e/ou parto

Como me posso proteger e proteger os outros dos germes?

  • Quando tossir ou espirrar, cubra a boca ou o nariz com um lenço de papel ou use a parte interna do cotovelo
  • Lavar as mãos com frequência e de uma forma eficaz e correta.
  • Caso não tenha a possibilidade de lavar as mãos com água e sabão poderá usar um desinfetante  para as mãos mas que contenha pelo menos 60% de álcool
  • Evite ao máximo o contacto próximo com outras pessoas (respeitando o distanciamento social)
  • Pratique a segurança alimentar ao manusear, cozinhar e armazenar alimentos

Equipamento de proteção individual – saiba quais os mais indicados para sua proteção

Em tempos de Covid-19 a atenção e o cuidado terão que ser redobrados. Mas será que todas as medidas ajudam a população a proteger-se do novo coronavírus? A DGS publicou uma série de diretrizes , entre elas a importância da utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

O risco em ambientes hospitalares ou naqueles em que o profissional de saúde está inserido é algo que faz parte do dia a dia destes profissionais. Para cuidar da saúde dos pacientes, é preciso incluir um plano de proteção adequado. Deste modo, os EPIS para os profissionais de saúde são tão importantes para o exercício eficaz da sua atividade.

Tendo em conta toda esta situação atual que estamos a viver, a Direção Geral de Saúde lançou uma norma e uma série de diretrizes que vão ao encontro das boas práticas de Prevenção e Controlo de Infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19). Neste documento a norma apresenta as precauções no âmbito da prevenção e controlo de infeção no Sistema de Saúde bem como as orientações para a boa utilização do Equipamento de Proteção Individual.

Aceda à  norma da DGS aqui

Tipos de EPIs:

  • Luvas de vinil – proteção do utilizador contra eventuais riscos que possam representar uma ameaça à saúde ou segurança do utilizador. Barreira física contra uma eventual contaminação.  Este tipo de luvas tem um nível de elasticidade baixo tendo uma resistência moderada a perfurações.
  • Luvas de latex – proteção do utilizador contra eventuais riscos que possam representar uma ameaça à saúde ou segurança do utilizador. Barreira física contra uma eventual contaminação.  Este tipo de luvas tem um nível de elasticidade elevado tendo uma resistência elevada a perfurações.

Escolha a luvas certas

Recipiente de luvas descartáveis deverão estar disponíveis em qualquer sala ou área de atendimento ao paciente. Posteriormente, as luvas deverão ser fornecidas em tamanhos diferentes, portanto, escolha o tamanho certo para um melhor ajuste.

  • Se as luvas forem muito grandes, é difícil segurar os objetos sendo também mais fácil haver contaminação nas mãos do utilizador
  • Luvas muito pequenas são mais propensas a rasgar

Alguns procedimentos de limpeza e cuidados requerem luvas estéreis ou cirúrgicas. Estéril significa “livre de germes”. Essas luvas são fornecidas em tamanhos numerados. Portanto, conheça o seu tamanho antecipadamente. Se manusear produtos químicos, verifique a ficha de dados se segurança do material de modo a ver que tipo de luvas irá necessitar.

Não use cremes para as mãos ou loções à base de óleo, a menos que seja aprovados para uso com luvas de látex.

Remoção das luvas

Ao tirar as luvas, verifique se a parte externa das luvas não toca nas suas mãos. Siga estes passos:

  • Pegue a parte superior da luva direita com a mão esquerda
  • Puxe em direção da ponta dos dedos. A luva vai virar do avesso
  • Segure a luva vazia com a mão esquerda
  • Coloque 2 dedos da mão direita na parte superior da luva esquerda
  • Puxe em direção às pontas dos dedos até puxar a luva de dentro para fora da sua mão. A luva direita estará agora dentro da luva esquerda.
  • Coloque as luvas no lixo

Use sempre luvas novas para cada paciente. Lave as mãos de uma forma regular de modo a evitar a passagem de germes

Tipos de EPIs:

  • Máscaras Cirúrgicas – cobrem a sua boca e nariz. Existem diversas máscaras que têm como objetivo a proteção dos profissionais de saúde, pacientes e terceiros contra diversas contaminações. As máscaras cirúrgicas são recomendadas essencialmente em ambiente hospitalar e clínico.  Assim sendo, este tipo de máscaras destinam-se a cobrir a boca e o nariz, do profissional de saúde, funcionando como uma barreira destinada a minimizar a transmissão direta de agentes infeciosos entre o profissional de saúde e o paciente.
  • Para que possam ser colocadas no mercado europeu e/ou entrar em serviço, estas máscaras devem cumprir os requisitos essenciais da Diretiva Europeia nº 93/42/CEE, de 14 de Junho de 1993 relativa a dispositivos médicos. Fonte: Infarmed

Máscara cirúrgicas para equipamento de proteção individual

 

 

 

 

 

 

  • Máscaras Antifiltrantes – São constituídas pelo próprio material filtrante podendo ter um formato plano ou moldado. A eficácia deste equipamento depende essencialmente de dois fatores: eficácia do material filtrante para reter as partículas sólidas ou liquidas e capacidade de se conseguir um bom ajuste facial. São uma opção a considerar em situações que se pretenda proteção para uma tarefa de curta duração , tendo ainda necessidades reduzidas da manutenção do equipamento.
Tabela de classificação das máscaras antifiltrantes
Fonte: “Guia de Seleção de Aparelhos de Proteção Respiratória Filtrantes”, do Instituto Português da Qualidade

 

Tipos de EPIs:

  • Cógula ou Bataclava – Epi de proteção de toda a área da cabeça, cara e pescoço, com abertura oval na zona dos olhos. Impermeável e repelente à água. Não estéril. Proteção do utilizador contra eventuais riscos , que possam ser susceptíveis de ameaçar a saúde do usuário. Barreira física contra eventual contaminação.

 

Cógula de proteção apra profissionais de saúde

 

Tipos de EPIs:

  • Fato de proteção em tecido técnico impermeável com capuz – Concebido para proteção do utilizador contra eventual risco de contaminação. Fato 100% impermeável. É um fato de proteção integral, de uso único, impermeável com capuz incorporado. Protege o pescoço, punhos bem ajustados e tamanho ajustado ao utilizador.

A utilização dos EPIS – Equipamento de Proteção Individual é recomendada a:

  • Todos os profissionais de saúde que prestam assistência direta ao paciente (médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de saúde, profissionais designados para a triagem de casos suspeitos, etc)
  • Toda a equipa de suporte que necessite entrar no quarto, enfermaria ou área de isolamento, incluindo pessoal da limpeza
  • Todos os profissionais de laboratório, durante coleta, transporte e manipulação de amostras de pacientes com suspeita ou confirmação de infecção
  • Familiares e visitantes que tenham contato com pacientes com suspeita ou confirmação de infecção

Estes são tempos nunca antes vividos, onde cada passo, cada detalhe tem uma enorme importância no nosso dia a dia. Com toda a certeza, nunca como agora demos tanta importância à proteção, à lavagem das mãos à eficácia dos equipamentos que nos protegem e que protegem quem cuida de nós. Sabemos que tudo isto vai passar, que voltaremos a ser livres destes pormenores tão importantes para a nossa saúde e para a saúde de todos. Contudo, enquanto vivermos nesta pandemia temos que garantir que os profissionais de saúde e a comunidade em geral tenham a melhor proteção possível e o acesso a EPIS que os resguardem deste terrível COVID. Assim sendo, estamos todos envolvidos para contribuirmos para o fornecimento de equipamentos com qualidade e que garantam a eficácia e a proteção a quem está na linha da frente desta batalha.

Juntos iremos vencer. 

Partilhe: